Publicações

REVISTA DE ECONOMIA CONTEMPORÂNEA, V. 21, N. 2, MAI./AGO. 2017

REV. ECON. CONTEMP., V. 21, N. 2, MAI./AGO. 2017

Rev. Econ. Contemp., v. 21, n. 2, mai./ago. 2017 

Download 

A ECONOMIA BRASILEIRA NO NOVO MILÊNIO: CONTINUIDADE E MUDANÇAS NAS ESTRATÉGIAS DE DESENVOLVIMENTO 

Autor(es): Carlos Aguiar de Medeiros

Resumo: Este texto disputa a proposição de que a crise atual da economia brasileira resultou da política desenvolvimentista que teria sido adotado na segunda metade da década do novo milênio. Com base em experiência nacionais do pós-guerra e nas transformações internacionais contemporâneas, argumenta-se que as estratégias desenvolvimentistas basearam-se num tripé formado por uma macroeconomia expansiva, por uma ativa política industrial e pela proteção da indústria nacional; com o neoliberalismo dos anos 1990 esse tripé foi desmontado na economia brasileira e após algumas iniciativas dos governos tomadas na primeira década visando à sua recomposição parcial, essa estratégia foi novamente desmontada na segunda década.

Palavras-chave: desenvolvimentismo; política econômica; investimento público; política industrial.

Classificação JEL: O23; O24; O25; O33; O54.


BRAZILIAN ECONOMY IN THE NEW CENTURY: CONTINUITY AND CHANGES IN DEVELOPMENTAL STRATEGIES 

Abstract: This paper disputes the proposition that attributes the current Brazilian economic crisis to the developmentalism adopted in the second decade of the new millennium. Based on post war nationals’ experiences and on international evolution, I argue that the neoliberalism that ruled in Brazil along the 1990s dismantled the tripod formed by expansionist macroeconomics, industrial policy and manufacture protection. This set that distinguish all developmentalism strategy was partially recovered by the new governments along the first decade but it was discontinued over again in the second decade.

Keywords: developmentalism; economic policy; public investment; industrial policy



REV. ECON. CONTEMP., V. 21, N. 2, MAI./AGO. 2017

Rev. Econ. Contemp., v. 21, n. 2, mai./ago. 2017 

Download 

ASCENSÃO E CRISE DO GOVERNO DILMA ROUSSEFF E O GOLPE DE 2016: PODER ESTRUTURAL, CONTRADIÇÃO E IDEOLOGIA 

Autor(es): Pedro Paulo Zahluth Bastos

Resumo: O artigo procura entender o governo Dilma Rousseff e o Golpe de 2016 levando em consideração o poder estrutural do capital financeiro e as contradições inerentes aos modelos de crescimento econômico e coalizão política observados desde o governo Lula. Argumenta-se que o projeto econômico do governo Rousseff procurava superar algumas destas contradições. O governo, contudo, não foi capaz de realizar nem as reformas institucionais nem as repactuações políticas necessárias para o sucesso de seu projeto, em contexto de desaceleração cíclica e aguçamento da concorrência internacional e dos conflitos sociais no Brasil. A política econômica é avaliada desde a austeridade de 2011 até a de 2015, passando pela chamada Nova Matriz Econômica e seu desmonte gradual em 2013. Analisa-se as origens da unificação da 
burguesia em torno a um programa neoliberal em 2016, assim como a relação entre a revolta das camadas médias e o ataque político-judicial resultante no Golpe de 2016.

Palavras-chave: Dilma Rousseff; Lulismo; golpe de 2016; Operação Lava-Jato; nova matriz econômica

Classificação JEL: O11; O54; P16


THE RISE AND FALL OF DILMA ROUSSEFF GOVERNMENT AND THE 2016 COUP: STRUCTURAL POWER, CONTRADICTION AND IDEOLOGY 

Abstract: The article seeks to understand the Dilma Rousseff government and the 2016 coup, considering the structural power of the financial capital and the contradictions inherent to the models of economic growth and political coalition observed since the Lula administration. It is argued that the Rousseff government’s economic project sought to overcome some of these contradictions. The government, 
however, was unable to carry out either the institutional reforms or the political changes necessary for the success of its project, in the context of an economic slowdown and the sharpening of international competition and social conflicts in Brazil. The economic policy is evaluated from the austerity of 2011 to that of 2015, passing through the so-called New Economic Matrix and its gradual dismantling in 2013. The origins of the bourgeoisie’s unification around a neoliberal program in 2016 are analyzed, as well as the relationship between the middle-class revolt and the political-judicial attack resulting on the 2016 coup.

Keywords: Dilma Rousseff; Lulism; 2016 Coup; Car-Wash Operation; new economic matrix



REV. ECON. CONTEMP., V. 21, N. 2, MAI./AGO. 2017

Rev. Econ. Contemp., v. 21, n. 2, mai./ago. 2017 

Download indisponível POLÍTICA SOCIAL E HETEROGENEIDADE ESTRUTURAL NA AMÉRICA LATINA: A VIRADA DO SÉCULO XXI 

Autor(es): Lena Lavinas; André Simões

Resumo: Esse artigo examina a complementariedade entre política social e políticas macroeconômicas pró-crescimento, tornando a redistribuição um fator dinâmico na consolidação de sociedades de mercado apoiadas na expansão da demanda. Analisa o período recente da história econômica latino-americana, marcado pelo surgimento de paradigmas conceituais voltados a explicar as especificidades do desenvolvimento da região. Três questões são abordadas no trabalho: i) que modelo de inclusão social caracteriza a nova fase de crescimento liderada pelas chamadas estratégias desenvolvimentistas?; ii) qual o papel atribuído ao sistema de proteção social e à política social lato sensu nesta dinâmica?; e iii) que mecanismos serviram para assegurar a transição a
uma sociedade de consumo de massa? O Brasil é tomado como estudo de caso.

Palavras-chave: política social; desigualdade; América Latina; estruturalismo

Classificação JEL: I30; E2; N36


SOCIAL POLICY AND STRUCTURAL HETEROGENEITY IN LATIN AMERICA: THE TURNING POINT OF THE 21ST CENTURY 

Abstract: This article addresses the complementarity between social policy and pro-growth macroeconomic policies, which turned redistribution into a crucial issue to consolidate market societies through the expansion of demand. It focuses on the recent economic history of Latin America, marked by the emergence of new conceptual paradigms so as to grasp the singularities of the region´s development. Three questions are then raised: i) which social inclusion model distinguishes the new period of economic growth led by the so called social-developmentalist strategies? ii) what role is assigned to the social protection system and to social policies in general in this context? iii) which mechanisms enabled the transition towards a mass-consumption society? Brazil will serve as a case study.

Keywords: social policy; inequality, Latin America; structuralism

Para acessar a edição completa, clique aqui.

REVISTA DE ECONOMIA CONTEMPORÂNEA, V. 21, N. 1, JAN./ABR. 2017.

REVISTA DE ECONOMIA CONTEMPORÂNEA, V. 21, N. 1, JAN./ABR. 2017.

SUMÁRIO
            
O CUSTO DA TRIBUTAÇÃO DIRETA SOBRE O INVESTIMENTO NO BRASIL
Nelson Leitão Paes 

CICLOS DE CRÉDITO, INADIMPLÊNCIA E AS FLUTUAÇÕES ECONÔMICAS NO BRASIL
Gisele Ferreira Tiryaki; Ive de Oliveira Gavazza; Cláudia Malbouisson Andrade; André Luis Mota     

EFEITOS DA POLÍTICA DE SALÁRIO MÍNIMO SOBRE O MERCADO DE TRABALHO METROPOLITANO: UMA ANÁLISE EMPÍRICA A PARTIR DE VETORES AUTORREGRESSIVOS (VAR) – (2003-2015)
Girleno Costa Pereira; André de Souza Melo; Leonardo Ferraz Xavier           

MENSURAÇÃO DA DESIGUALDADE EDUCACIONAL ENTRE OS MUNICÍPIOS NORDESTINOS
Luciana de Oliveira Rodrigues; Jair Andrade Araujo; João Paulo Martins Guedes; Maria Micheliana da Costa Silva         

DISPARIDADE SOCIOECONÔMICA E FLUXO MIGRATÓRIO CHINÊS: INTERPRETAÇÃO DE EVENTOS CONTEMPORÂNEOS SEGUNDO OS CLÁSSICOS DO DESENVOLVIMENTO
Frederick Fagundes Alves; Silvia Harumi Toyoshima

DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E POLÍTICA INDUSTRIAL E TECNOLÓGICA: A VISÃO DO PROFESSOR FABIO ERBER
Dulce Monteiro Filha


Para acessar a edição completa, clique aqui.