Grupo de Análise Marxista Aplicada - GAMA

GRUPO GAMA

Objetivos gerais e linhas de pesquisa

Este grupo de pesquisa tem como objetivos (1) discutir e analisar as interpretações contemporâneas da crítica da economia política que tratam dos temas da acumulação, do poder e do sistema internacional; bem como (2) estudar, a partir desse referencial, determinadas formações sociais historicamente determinadas, tais como o Brasil, os países da América Latina e da África subsaariana, a China, entre outros países.

Esses dois objetivos gerais evidenciam que o grupo pretende desenvolver estudos e pesquisas que buscarão conectar a economia e a política e, sobretudo, articular as dimensões mais abstratas (o modo de produção e acumulação, o sistema internacional, etc.) às mais concretas (o Brasil, os países latino-americanos, a China etc.) para que possamos compreender os fenômenos contemporâneos do capitalismo mundial e de alguns estados nacionais para além das interpretações imediatas.

A partir desses objetivos gerais, delineou-se quatro linhas de pesquisa:

  • Acumulação capitalista e as mudanças tecnológicas nas economias centrais e periféricas;
  • Estado, bloco no poder e política econômica;
  • Sistema internacional, dependência, subimperialismo e periferia; 
  • China e impactos de sua ascensão para as transformações do capitalismo contemporâneo. 

Os eixos de estudos para cada uma das quatro linhas, em detalhe, se apresentam assim:

Acumulação capitalista e as mudanças tecnológicas nas economias centrais e periféricas: aqui serão analisadas as mudanças tecnológicas nas economias centrais e periféricas por meio do processo de acumulação capitalista, tomando por base as principais obras de Karl Marx e os estudos marxianos recentes, além de englobar a discussão das formas de subordinação do trabalho na sociedade atual. Para tal tarefa, os temas norteadores da linha de pesquisa são: o trabalho como categoria estruturante na sociedade capitalista; a reordenação produtiva global; a subordinação (ou subsunção) do trabalho ligado a novos  padrões tecnológicos.

Estado, bloco no poder e política econômica: esta linha tem como objetivo analisar a evolução do bloco no poder em alguns países centrais e periféricos, especialmente os sul-americanos (Brasil, Argentina, Chile, Uruguai, Paraguai, Colômbia e Venezuela), buscando mostrar como as mudanças no bloco no poder afetam a ossatura do Estado (locus fundamental da luta política de classes) e de suas políticas econômicas. Partiremos da premissa de que a evolução do bloco no poder afeta e é afetada pelos condicionantes externos (dinâmica economia e política internacional) e internos (política econômica, regulação da estrutura de propriedade, entre outros fatores) que resultam das lutas econômica e política das classes.

Sistema internacional, dependência, subimperialismo e periferia: A discussão nessa linha de pesquisa trata da temática da acumulação à escala mundial, da dependência e dominação a partir do referencial teórico desenvolvido na obra de K. Marx, dos autores do imperialismo clássico (Hilferding, Bukharin, Lênin) e dos autores neo-marxistas do final do século XX (E. Mandel, R. M. Marini, D. Harvey). Com foco sobre América Latina e África subsaariana, essa base teórica é mobilizada para tratar e discutir temas como a regionalização da economia capitalista mundial e a relação entre e intra blocos econômicos regionais, dependência e subimperialismo, efeitos do diferencial dos níveis de desenvolvimento em escala regional e global, questão agrária etc. 

China e impactos de sua ascensão para as transformações do capitalismo contemporâneo: esta linha tem como objetivos (1) analisar os principais elementos constitutivos do atual padrão de acumulação da China e seus impactos para a população chinesa; e (2) examinar o papel desempenhado pela China sobre as transformações do capitalismo contemporâneo.