Apresentação

O Instituto de Economia (IE) é uma unidade de ensino e pesquisa da Universidade Federal do Rio de Janeiro vinculada ao Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas (CCJE). Tem como finalidade o ensino de graduação e de pós-graduação, a extensão universitária, a pesquisa e a prestação de serviços especializados no campo da economia que sejam de interesse da Universidade ou de instituições públicas e privadas. O IE funciona no campus da Praia Vermelha (para saber mais sobre as instalações, clique aqui).

No ensino de graduação, o IE oferece o curso de Ciências Econômicas nos turnos integral e noturno. Trata-se do curso de graduação em Economia mais antigo do Rio de Janeiro e um dos mais longevos do país. No nível da pós-graduação, o IE abriga três programas de pós-graduação stricto sensu – Economia da Indústria e da Tecnologia (PPGE), Políticas Públicas, Estratégia e Desenvolvimento (PPED), e Economia Política Internacional (PEPI) – além de mais de uma dezena de cursos lato sensu. No segmento de extensão, destaca-se o CATE, tradicional curso preparatório para o exame nacional de admissão ao mestrado em Economia realizado pela ANPEC. Atualmente o IE possui aproximadamente 95 professores, sendo a imensa maioria de doutores com dedicação exclusiva; cerca de 25 funcionários técnico-administrativos; cerca de 1100 alunos de graduação e 330 alunos de mestrado/doutorado, somando-se os três programas diferentes. Abriga também cerca de 20 grupos de pesquisa.

O IE se posiciona como um espaço dedicado à construção do conhecimento. Academicamente, seu principal compromisso é apresentar e discutir, de forma aprofundada e crítica, os principais paradigmas e vertentes do pensamento econômico, sempre prezando pela pluralidade de abordagens e o incentivo ao debate. Historicamente, a casa se mostra comprometida com a defesa da liberdade de pensamento, dos valores democráticos, do diálogo e do ensino público, gratuito e de qualidade. E é essa pluralidade que torna o IE uma instituição singular no campo da economia no Brasil, sua principal marca institucional. O IE é singular porque é plural. 

MISSÃO INSTITUCIONAL

A Economia é uma ciência social aplicada, com objetivos que são ao mesmo tempo teóricos e práticos, que combinam a produção de conhecimento e a intervenção no processo social. Para atendê-los, é necessário tanto produzir as lentes teóricas e fundamentos empíricos indispensáveis para interpretar, compreender e explicar a realidade econômica, quanto desenvolver as capacidades que permitem atuar sobre esta mesma realidade e, eventualmente, transformá-la. Deve-se, assim, conjugar o exercício de atividades intelectuais típicas de uma ciência pura com o constante envolvimento em discussões aplicadas e normativas, nas quais aspectos institucionais, morais, políticos e ideológicos estão sempre presentes. Concebida desta forma, a Economia é, em sua essência, uma disciplina plural, na qual convivem - e, frequentemente, se opõem - uma variedade de teorias, métodos, critérios normativos, visões de mundo e propostas de políticas.

Portanto, definimos como a missão do Instituto de Economia a de reunir uma comunidade acadêmica, formada por professores, alunos e funcionários, da área de economia e outros campos de conhecimento afins, comprometidos com:

(i) o ensino de economia e de outros campos de conhecimentos afins em um padrão de excelência;
(ii) o desenvolvimento da pesquisa na área de economia e outras áreas afins; 
(iii) o desenvolvimento de atividades de extensão nesses campos de saber.

Nessa linha, os objetivos do Instituto de Economia são:

- formar profissionais e cientistas sociais, em nível de graduação e pós-graduação, capazes de atuar no campo da economia, entendida como uma ciência social aplicada. Nessa linha, nossa formação permite formar quadros para o setor público, o setor privado, organizações internacionais;
- desenvolver pesquisas acadêmicas no campo da economia e outras ciências sociais afins, para o desenvolvimento do conhecimento científico;
- desenvolver pesquisas aplicadas no campo da economia e outras ciências sociais afins, para o desenvolvimento de políticas públicas; 
- realizar trabalhos e consultorias de interesse da sociedade, entendida como extensão das atividades de pesquisa e ensino; 
- realizar todas as atividades acima com transparência e elevada qualidade acadêmica e profissional, tendo em conta que esta é uma instituição financiada pela sociedade brasileira e, ao final, deve retribuir à sociedade pelos recursos públicos a ela conferidos, contribuindo para apoiar o desenvolvimento econômico e social do país.