História

História do IE-UFRJ

O atual Instituto de Economia foi fundado em 1996 a partir da fusão do Departamento de Economia da antiga Faculdade de Economia e Administração (FEA), responsável pela graduação em Ciências Econômicas, e do Instituto de Economia Industrial (IEI), responsável pela pós-graduação e a pesquisa em economia. A fusão representou o último passo de um projeto, iniciado em 1946, de constituição de um núcleo universitário para abrigar as atividades de ensino, pesquisa e extensão em economia na UFRJ.

Foi em 1946 que ocorreu a incorporação pela então Universidade do Brasil (antiga denominação da UFRJ) da Faculdade de Ciências Econômicas e Administrativas do Rio de Janeiro (FCEARJ), criada em 1938 pela Ordem dos Economistas do Rio de Janeiro e a Sociedade Brasileira de Economia Política, que reuniu na época importantes economistas como Eugênio Gudin e Octávio Gouvêa de Bulhões. Uma vez incorporada, a FCEARJ passou a se chamar Faculdade Nacional de Ciências Econômicas (FNCE) e foi novamente rebatizada em 1965 como Faculdade de Economia e Administração (FEA). Com a FNCE, nasceu no final da década de 1940 o primeiro curso de graduação em ciências econômicas independente do Direito e integrado a uma estrutura universitária do país. Fica claro, assim, como a história do IE se confunde com a própria história do ensino de economia no Brasil.

Já o Instituto de Economia Industrial foi criado em 1979 pelo Conselho Universitário da UFRJ para desenvolver as atividades de ensino de pós-graduação e pesquisa em economia, em cooperação coma FEA. Ainda em 1970, foram implementados o curso de mestrado e a pesquisa com foco em indústria e tecnologia, revelando o reconhecimento da crescente importância da formulação das políticas industriais e tecnológicas no desenvolvimento econômico do país. Com a implementação do curso de doutorado em 1986, organizaram-se as três áreas de concentração do programa: Economia da Indústria, Planejamento e Políticas Públicas, e Economia Política. Duas décadas mais tarde, deste programa nasceriam outros dois, com foco nas áreas de concentração originais (o Programa de Políticas, Estratégias e Desenvolvimento e o Programa de Economia Política Internacional).

A fusão da FEA com o IEI em 1996 tornou o novo instituto capaz de desenvolver um programa integrado de ensino e de pesquisa em economia e permitiu a oferta de um conjunto maior e mais variado de disciplinas nos programas de graduação e pós-graduação, extraindo vantagens do que é uma das principais características da instituição: a pluralidade na formação e de perspectivas teóricas do seu corpo docente.

O compromisso do IE-UFRJ é apresentar e discutir, de forma aprofundada e crítica, os principais paradigmas que constituem a teoria econômica moderna, a visão que informa cada um deles, suas fronteiras interdisciplinares, seus instrumentos analíticos, seu poder de explicação da realidade das economias atuais e os confrontos entre suas proposições. Historicamente essa postura plural e crítica tem se revelado tanto nos programas de graduação e pós-graduação, quanto nas atividades de pesquisa, que sempre buscaram a reflexão intelectual independente a partir das mais diversas preocupações teóricas e empíricas, com particular destaque, porém, para o conhecimento da economia brasileira e da análise do impacto dos instrumentos de política econômica na realidade do país. Com isso, pretende-se preservar e fortalecer o mais caro legado dos professores da antiga FEA e do IEI: a reflexão em torno dos problemas e das opções que se abrem para o desenvolvimento do país.

Datando de 1938, o curso de graduação em Ciências Econômicas do IE-UFRJ é um dos mais antigos do país e, desde sua criação, esteve também entre os mais prestigiosos, tendo contribuído para a formação de quadros importantes desta área do saber no Brasil e no mundo, como Eugênio Gudin, Octavio Gouvêa de Bulhões, Roberto Campos, Maria da Conceição Tavares, Carlos Lessa, Aloísio Teixeira, Armando Castelar, Edmar Bacha, Fabio Giambiagi, Fernando Cardim, entre outros

O IE está sediado no campus da Praia Vermelha, bairro da Urca, próximo de um dos principais cartões postais da cidade, o Pão de Açúcar. O IE funciona nas dependências do Palácio Universitário, prédio centenário que foi palco de momentos marcantes da história do país.