Listar destaques

Título: OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: MUITA AMBIÇÃO PARA POUCOS DADOS*

Palestrantes:  Paulo Gonzaga Mibielli de Carvalho e Frederico Cavadas Barcellos

Frederico Cavadas Barcellos é geógrafo formado pela UFF, especialista em Gestão Ambiental pela Universidade Estácio de Sá e Mestre em Sistemas de Gestão Ambiental pela Faculdade de Engenharia da UFF. É professor da cadeira de Economia Ambiental do curso de Pós-graduação lato sensu em Análise Ambiental e Gestão do território, da Escola Nacional de Ciências Estatísticas – ENCE. Compõe a diretoria da Sociedade Brasileira de Economia Ecológica – EcoEco. No IBGE, está lotado na Coordenação de Estatísticas Econômicas e Classificações onde desempenha suas funções no Núcleo de Estatísticas Ambientais.

Paulo Gonzaga Mibielli de Carvalho  - Graduado em Economia pela PUC-RJ, Mestre em Economia pela IE-UNICAMP e Doutor em Economia pela IE-UFRJ. Foi presidente e é atualmente diretor da Sociedade Brasileira de Economia Ecológica (ECOECO). Foi professor do mestrado de Estudos populacionais e Pesquisa Social e do curso de especialização em Análise Ambiental e Gestão do Território ambos da ENCE. Economista do IBGE, atualmente está lotado na Coordenação de Estatísticas Econômicas e Classificações no Núcleo de Estatísticas Ambientais. É também professor do curso de graduação de economia da UNESA.

Resumo da Apresentação: Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável - ODS substituíram os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio - ODM a partir de 2016. O arcabouço dos ODS que foi aprovado pela ONU é excessivamente ambicioso, tem inconsistências, lacunas em áreas importantes e, principalmente, é de difícil monitoramento por falta de estatísticas e metadados. A maioria das metas ou não tem prazo estabelecido para cumprimento ou valor numérico a ser atingido. Apenas 56,6% dos indicadores de acompanhamento têm metadados e dados. No momento, nenhum país tem dados para metade dos indicadores propostos. Caso não haja uma significativa mudança de rumo, os autores são pessimistas quanto ao sucesso dos ODS.


*     O IBGE está isento de qualquer responsabilidade pelas opiniões, informações, dados e conceitos emitidos neste artigo, que são de inteira responsabilidade dos autores.