Concepção Acadêmica, Área de Concentração e Linhas de Pesquisa

A concepção acadêmica do PEPI sustenta-se em uma única área de concentração - a da Economia Política Internacional (EPI) - a partir da qual são contempladas as atividades de ensino, pesquisa e extensão do Programa. Por sua natureza, a área de EPI demanda uma análise interdisciplinar, constituindo-se em uma agenda pesquisa com diferentes dimensões. Para tanto, a proposta pedagógica do Programa envolve um exercício permanente de análise e interpretação histórica e de conjuntura com base na geografia, associada a um esforço de reflexão teórica, em que se fazem presentes, num mesmo olhar, as dimensões política e econômica. Estas últimas são assim compreendidas como duas dimensões complementares e indissociáveis de uma mesma forma de analisar o sistema internacional.

No âmbito do Programa, a EPI desdobra-se em dois eixos principais, com aderência à formação, produção e projetos de pesquisa dos docentes, visando um estudo interdependente dos fenômenos associados às principais transformações do sistema mundial. Mais especificamente, os eixos estruturantes são: o do poder, das disputas interestatais e sua relação com a geoeconomia; e o do debate do desenvolvimento econômico nacional no contexto de um sistema internacional desigual e hierarquizado política e economicamente. É com base nesses dois eixos que se estruturam as linhas de pesquisa concebidas no PEPI, a saber: a denominada de “Poder, Estratégia, Geopolítica e Geoeconomia” e a do “Economia Política, Desenvolvimento e Inserção Internacional”.

As linhas diferenciam-se pelo objeto e pelo ângulo de análise em privilégio, embora ambas sejam interdisciplinares entre economia e política, mas em sentido contrário. Dessa forma, as duas linhas buscam evitar, de um lado, a segmentação entre o econômico e o político, ao mesmo tempo em que assumem, por outro lado, sentidos analíticos (formas de pensar) diferentes e complementares, pois cada uma parte de uma das dimensões características do campo da EPI e avançam na direção da outra. Trata-se, decerto, de uma identidade acadêmica do PEPI, um dos seus elementos mais característicos e de referência na área.

Em termos mais detalhados, são descritas a seguir cada uma das linhas de pesquisa do PEPI.


LP1. Poder, Estratégia, Geopolítica e Geoeconomia

Essa linha tem como objetos de estudos as disputas geopolíticas, as relações interestatal e as estratégias nacionais e de política externa características do sistema internacional, e suas articulações com a lógica da acumulação de capital, a competição intercapitalista em escala global, à moeda e às finanças internacionais, a geoeconomia e as possibilidades de conflitos e desenvolvimento entre e dentro dos Estados. Para tanto, desenvolve reflexões teóricas e análises de conjuntura concernentes à dimensão e às relações de poder, a partir de leituras do modo de funcionamento e das tendências de longa duração do sistema internacional, desde suas origens medievais até o presente, privilegiando o movimento, o conflito e as contradições que dinamizam o próprio sistema. Buscam analisar as relações entre geopolítica, segurança e desenvolvimento, do ponto de vista das relações de poder, utilizando a teoria política, geopolítica, sociologia, história e economia política.

Docentes Permanentes da LP1: José Luís Fiori, Cristina Pecequilo, Daniel Barreiros, Maurício Metri, Raphael Padula, Carlos Eduardo Martins


LP2. Economia Política, Desenvolvimento e Inserção Internacional

Essa linha de pesquisa tem como objeto principal as estratégias e a economia política do desenvolvimento econômico dos estados nacionais a partir das condições externas e sistêmicas da economia internacional em diferentes momentos históricos, das orientações geopolíticas das grandes potências e suas relações com a operação do sistema monetário-financeiro internacional, o controle tecnológico e o progresso técnico. Assim, congrega estudos relativos aos processos de desenvolvimento econômico e os desafios militares, políticos e econômicos, enfrentados na esfera internacional, pelos Estados. Propõe estudos que se diferenciem do debate convencional acerca do desenvolvimento econômico, buscando suas interfaces com as disputas geopolíticas e interestatais. Revisita e apresenta reflexões teóricas sobre a questão do excedente, do crescimento e desenvolvimento econômico, a inserção externa e a restrição do balanço de pagamentos, a geração e a difusão do avanço tecnológico, os desafios do sistema monetário-financeiro internacional e do financiamento do desenvolvimento, a partir de um ângulo econômico. Buscam analisar as experiências de desenvolvimento econômico e inserção externa relacionando-as com questões geopolíticas, do ponto de vista da economia política.

Docentes Permanentes da LP2: Carlos Medeiros, Franklin Serrano, Numa Mazat, Eduardo Crespo, Isabela Nogueira, Ernani Torres